segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

UM JUIZ NÃO PODE SER ACUSADOR!

O COMPORTAMENTO DO DR MORO, REPRESENTANTE MOR DA LAVA JATO É DE UM ACUSADOR. TODA EXTREMA DIREITA ESTÁ UNIDA CONTRA LULA E CONTRA O BRASIL´, MAS DIA 24 DE JANEIRO PORTO ALEGRE VAI AVERMELHAR

A imagem pode conter: 18 pessoas, pessoas sorrindo, multidão

“Já se disse que o fim da Lava Jato viria por meio de um acordão “com o Supremo, com tudo”. Provavelmente envolveria o Congresso Nacional, que quase aprovou uma anistia para a corrupção no fim de 2016 –disfarçada, é bem verdade, de anistia a caixa dois. Um ano depois, foi o presidente da República, Michel Temer, que decretou aquilo que pode ser o fim da expansão da Lava Jato. Seu indulto de Natal colocou um torniquete na Lava Jato. A sangria está sendo estancada.”
Minha opinião: O problema da Lava Jato não é a Lava Jato. O problema da Lava Jata se chama a prepotência dos garotos Moro e Deltan e dos velhos, todos, que formam a cúpula desse órgão que poderia ser de alguma forma uma maneira de consertar este país que é corrupto há centenas de anos e que se fosse feito um profundo estudo, que acredito existe, teríamos à nossa frente, uma quantidade inimaginável de cidadãos conhecidos, conhecidíssimos, que sempre se locupletaram com nossas riquezas, que sempre venderam nossos bens e sempre desdenharam de nossa capacidade de nos defendermos.
Não gosto da Lava Jato Nunca gostei do Dr. Moro, do Dallagnoll, o evangéçico. do velhote com cara brilhosa, que são prepotentes, obedecem ordens e não aceitam que a função de um juiz não pode desrespeitar aos direitos fundamentais na área jurídica. Dr. Moro “é muito pouco habilitado para exercer a função de magistrado. A magistratura exige muito equilíbrio, muita serenidade e, sobretudo, muita imparcialidade. Ela não pode ser evidentemente uma conduta apaixonada. Mesmo que ele assuma um ar sereno, e assume, o comportamento dele não é o de um magistrado, o comportamento dele é de um acusador" conforme opinião do jurista Celso Antonio Bandeira de Mello.
Após ter contribuído para a queda da democracia brasileira e para a deposição da presidente honesta Dilma Rousseff, substituída por uma verdadeira quadrilha, o procurador Deltan Dallagnol descobre que o propósito real do governo Temer é estancar a sangria.
“Já se disse que o fim da Lava Jato viria por meio de um acordão “com o Supremo, com tudo”. Provavelmente envolveria o Congresso Nacional, que quase aprovou uma anistia para a corrupção no fim de 2016 –disfarçada, é bem verdade, de anistia a caixa dois. Um ano depois, foi o presidente da República, Michel Temer, que decretou aquilo que pode ser o fim da expansão da Lava Jato. Seu indulto de Natal colocou um torniquete na Lava Jato. A sangria está sendo estancada.”
Dr, Moro, a magistratura exige muito equilíbrio, muita serenidade e, sobretudo, muita imparcialidade. Ela não pode ter evidentemente uma conduta apaixonada. Mesmo que ele, o doutor assuma um ar sereno, e assume, o comportamento não é o de um magistrado, o comportamento dele é de um acusador", e a delação premiada é uma forma de tortura. O “soberano” prende o indivíduo, espera que ele não aguente mais e aí ele fala o que o “soberano” quiser que ele fale.
Esse preâmbulo é para ratificar o ódio que o Dr. soberano tem ao Lula e, embora não sabendo de onde se originou esse ódio gratuito, temos certeza que a imprensa , os golpistas, os de extrema direita, todos, estão unidos para crucificar o ex´Presidente e automaticamente o povo brasileiro.
O dia 24 de janeiro está chegando e o prefeito tucano de Porto Alegre fez os vereadores porto-alegrenses aprovaram uma lei maluca que pretende impedir o direito de reunião, o de manifestação e o de pensamento, tudo no mesmo pacote com ampliação do poder da Guarda Municipal, autorizando punições e multas de até R$ 401 mil contra quem 'impedir o livre trânsito de pedestres ou veículos' na capital gaúcha" Eis o exemplo de uma lei feita para agradar o eleitorado conservador que elegeu o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan. Essa lei é uma aberração que não resiste a um pedido de liminar que garanta que a manifestação programada para ocorrer em Porto Alegre no dia do julgamento de Lula no TRF4 não será alvo de obstrução inconstitucional.
Ele afirma que, ao realizar uma manifestação, os grupos precisariam de prévia autorização com os órgãos da prefeitura, e os responsáveis por manifestações não consentidas que estiverem atrapalhando o fluxo – sejam pessoas físicas ou instituições – vão responder, segundo o desejo do Marchezan, mas o que se defende é o direito de reunião, direito fundamental previsto na Carta Magna, artigo 5º, XVI, que dispõe que:
“Todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente”.
Ponto.
O prefeito Nelson Marchesan Junior e a maioria da Câmara de Vereadores de Porto Alegre montaram uma enorme farsa para agradar o eleitorado reacionário. Sabem que essa lei é inconstitucional e o STF vai revogar via liminar, mas querem fazer politicagem para que os reaças porto-alegrenses achem que tentaram barrar a democracia. E as reações porto-alegrenses e da extrema direita circula livremente nas redes sociais.
MarIstela Farias – JornalIsta DRT 1778/´PE
Postar um comentário