quarta-feira, 1 de novembro de 2017

IMPEDIR CAETANO VELOSO CANTAR PARA O MTST É CENSURA SIM!

Colaboratório.org
Publicado por Maristela Farias3 h
NOTA POLÍTICA

A imagem pode conter: 1 pessoa, óculos e texto

LULA TERMINOU SUA SEGUNDA CARAVANA. ESTÁ FELIZ.
OS MORADORES DA OCUPAÇÃO POVO SEM MEDO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO, ESTÃO TRISTES. A JUIZA IDA INÊS DEL CID PROIBIU QUE CAETANO VELOSO CANTASSE PARA ELES. É CENSURA SIM!
Sabem quem é o Caetano Veloso, conhecem suas músicas, mas não tiveram a chance de ouvi-lo cantar especialmente para eles.
Só Caetano não cantou, ele foi impedido pela juiza Inês Del Cid (mais uma vez uma juiza) que achou ser o local sem estrutura para receber um artista da envergadura de Caetano Veloso, que, segundo ELA, com seu brilhantismo, atrairia muita gente para o local Segundo ela, . Ele ia prestar apoio às 8.000 famílias que cobram moradia naquele local. "Ser impedido de cantar não é bom. Mais que nunca é preciso cantar. Porque há muitas dificuldades", disse para jornalistas. "Eu vivi o período oficialmente não democrático e não é bom ser impedido de cantar."
A decisão de proibir o show foi da juíza Ida Inês Del Cid, que argumenta que o lugar da ocupação não possui estrutura para suportar um show de artistas da "envergadura" de Caetano, um “artista tão querido pelo público, por interpretar canções lindíssimas, com voz inigualável”.
A multa, caso o show fosse realizado, seria de 500.000 reais, o equivalente a 40 anos de IPTU atrasado e não pago pelo dono do terreno.
Artistas e políticos têm se solidarizado com a Ocupação Povo Sem medo de São Bernardo, considerada a maior ocupação urbana de São Paulo, num momento em que as demandas populares desapareceram da pauta nacional e quando os participantes do MTST cobram a construção de moradias em terrenos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), empresa do Governo de Estado de São Paulo responsável pela construção de moradias populares, que atende famílias com renda de 1 a 10 salários mínimos.
Como a história está aí pra não ser esquecida, lembro muito bem que durante a ditadura militar (1964-1985), muitos brasileiros deixaram o país e seguiram para o exterior. Era o início do exílio, que atingia uma parte da população brasileira, formada, sobretudo, pela classe média intelectualizada. Ao lado das prisões e dos assassinatos com motivação política, o exílio teve a função de afastar os opositores do novo regime instalado em 1964.
A grande maioria, saiu do Brasil em razão de suas posições políticas. Houve exilados que deixaram o país trocados por reféns ilustres. Em 1969 e 1970, organizações de esquerda sequestraram os embaixadores dos Estados Unidos da Suíça e da Alemanha Ocidental. Em troca de sua libertação, exigiram que presos políticos fossem soltos pela ditadura. No total, os militares libertaram 125 pessoas - todas exiladas para o México, Chile e Argélia. A história está aí e NÃO QUEREMOS REVIVÊ-LA
Maristela Farias ´- Jornalista DRT 1778/PE
Postar um comentário