sexta-feira, 20 de outubro de 2017

QUEM QUISER DISPUTAR COMIGO QUE VENHA PRAS RUAS (LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA)


Colaboratório.org
Publicado por Maristela Farias3 h
NOTA ´POLÍTICA
"QUEM QUISER DISPUTAR COMIGO QUE VENHA PRAS RUAS" (Luiz Inácio Lula da Silva)

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e close-up

A partir da próxima segunda-feira, dia 23 de outubro e até o dia 30, o ex-Presidente Luiz Inácio lula da Silva retomará sua nova caravana, desta feita em Minas Gerais e segundo ele, conforme entrevista a rádio e jornal Super Notícia, de Minas Gerais, pretende ver o que aconteceu no Brasil nos últimos anos, principalmente porque, como ex-Presidente tem consciência do que aconteceu em todas as áreas de atuação de seu governo, especialmente nas áreas mais pobres do país.
Sabe também, segundo falou, de todos os defeitos que aconteceram no campo da educação, da saúde, do emprego, do campo, da ajuda do pequeno e médio produtor rural e da agricultura familiar. Ele, quer, exatamente como fez na primeira Caravana, em nove estados do Nordeste, olhar para as pessoas, abraçá-las, ver como está o povo brasileiro, porque, o povo está perdendo muitos dos direitos que foram conquistados nos últimos 12 anos no Brasil. Essa é a intenção da viagem, de pegar na mão das pessoas, abraçar as pessoas, olhar nos olhos das pessoas.
Segundo Luiz Inácio Lula da Silva, quando perguntado se um empresário seria o melhor vice, lembrou José Alencar que segundo ele “foi o melhor vice que um presidente já teve no planeta. A relação com ele era uma relação verdadeira e muito companheira,não era apenas como empresário, mas como cidadão brasileiro, comprometido até as últimas células com o desenvolvimento do Brasil, com o compromisso de acabar com a pobreza e fazer com que o Brasil adquirisse soberania. Ele era um homem nacionalista, comprometido com esse país”.
Perguntado se o seu vice poderia ser um empresário, respondeu que poderia ser um empresário, não uma aliança com o mercado. “Não poderá ser qualquer empresário, mas um que tenha compromisso de perceber que o país só vai dar certo quando a gente tiver mais emprego, aumentando a renda per capta, quando as pessoas puderem viajar, ter acesso à cultura, puderem tomar café, almoçar e jantar e ter acesso à educação. O empresário que tiver essa mentalidade pode contribuir para que possa fazer um baita de um governo… O que faz um governo dar certo é ele ter credibilidade, ninguém pode ser pego de surpresa.”
Maristela Farias – Jornalista DRT 1778/PE
Postar um comentário